Vêm aí os parquímetros

      Sem comentários em Vêm aí os parquímetros

A futura instalação de parquímetros em algumas artérias de Massamá e Monte Abraão poderá estar para breve. Segundo Pedro Brás, presidente da União de Freguesias, trata-se de uma matéria sensível, mas que, “mais tarde ou mais cedo terá de ser concretizada”. Isto, segundo o autarca local, para melhor regular o trânsito nas zonas mais frequentadas e dissuadir o estacionamento selvagem.

“Não faz sentido as pessoas deixarem os carros estacionados na Avenida 25 de Abril em cima de passeios e em passadeiras, quando têm um parque de estacionamento na estação da CP de Massamá/Tercena, a escassos metros, e que é gratuito. Temos de combater aquilo a que chamo a preguiça dos portugueses e que os leva a não deixar o carro a menos de 150 metros do local para onde querem ir. Neste momento temos a 25 de Abril apinhada de carros e o parque da CP quase às moscas”, explica Pedro Brás.

E o edil justifica melhor: “Se instalarmos parquímetros à superfície, as pessoas serão levadas a estacionar no subsolo. Não digo que o parque da CP será eternamente gratuito, mas terá sempre preços inferiores aos da superfície. Não há necessidade de as pessoas deixarem o carro em transgressão, quando existem alternativas. Os parquímetros não são o ideal, mas acabam por ser um mal necessário. Há pessoas que não levam o carro para dentro do carro porque não podem.”

Ainda não se sabe quando o parque da CP deixa de ser gratuitoAs vantagens da rotatividade

As vantagens da rotatividade

Quem é que nunca precisou de estacionar o carro em áreas urbanas e perdeu imenso tempo à procura de um lugar? O estacionamento rotativo, potenciado pelos parquímetros, pode, afinal, não ser assim tão mau, uma vez que a sua principal função é permitir a rotatividade entre veículos, possibilitando uma maior oferta de vagas controladas por minutos/horas.

Em Massamá, por exemplo, há quem estacione o seu carro na Av. 25 de Abril pela manhã e só o retira no final do dia, quando regressa do emprego. E é isto que, segundo vários estudos feitos na área, que acaba por prejudicar a rotatividade e o trânsito. Com os parquímetros o caso muda de figura, uma vez que o dono do carro tem de libertar o lugar após o tempo limite de quatro horas ou voltar a pagar. Ou seja, é possível que o mesmo lugar seja partilhado por mais do que um condutor no mesmo dia.

Comércio pode lucrar

Muitas vezes os potenciais clientes desistem de comprar no comércio local devido à falta de lugares para estacionar o carro. Isto impede o estabelecimento comercial de crescer, principalmente em datas comemorativas. Com o estacionamento rotativo o comércio poderá lucrar mais, uma vez que há maior probabilidade de existirem lugares disponíveis. Isto ajuda diretamente o comerciante porque terá, teoricamente, um fluxo maior de clientes e também o consumidor que não precisará de estar a perder tanto tempo à procura de um lugar para poder estacionar, ou até mesmo desistir da compra por falta de estacionamento.

Acresce que o estacionamento rotativo possui um preço acessível a todos, bastante inferior aos parques de estacionamento privados, e ainda poderá implicar um retorno para a população com melhorias na fluidez do trânsito.

Como refere o presidente da União de Freguesias de Massamá e Monte Abraão, mais tarde ou mais cedo os parquímetros vão chegar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *