Revolução viária na freguesia

      Sem comentários em Revolução viária na freguesia

Vêm aí mudanças significativas na rede viária de Massamá. O objectivo, segundo os presidentes da Câmara de Sintra e da Junta de Freguesia de Massamá é aumentar o número de estacionamentos e melhorar a segurança rodoviária com a eliminação de alguns “pontos negros” e onde os acidentes são frequentes. Os estudos estão a ser feitos e algumas obras vão arrancar em breve. 

Sentido único

Uma das intervenções vai decorrer na Rua Dr. Francisco Ribeiro Spínola, mesmo junto às instalações da junta de Freguesia e que liga à rotunda da Rua Direita de Massamá (passa pelo Hospital Veterinário). A artéria passará a ter sentido único – apenas ascendente -, serão cortadas as árvores agora existentes e substituídas por outras mais adequadas a meios urbanos, os passeios serão alterados e o estacionamento passará a ser feito em espinha.

“Vamos aumentar o estacionamento, melhorar os passeios, criar postos de iluminação pública e mudar a circulação na zona até à rotunda onde funciona a esquadra da PSP. É uma empreitada específica e que vai arrancar em breve, com custos relativamente baixos”, explicou, ao Comércio de Massamá e Monte Abraão, o engenheiro Luís Nunes, responsável do Departamento de Ambiente, Projectos e Fiscalização da Câmara de Sintra, durante a presidência aberta que Basílio Horta, líder da Câmara de Sintra, realizou, no passado dia 31 de Janeiro, à União de Freguesias de Massamá e Monte Abraão. 

Duas rotundas

Decidida está já a construção de uma rotunda na interseção da Avenida Aquilino Ribeiro com a Azedo Gneco, junto ao antigo Mirapreço e à Praceta Cesário Verde. As obras deverão arrancar em meados deste mês. Em fase de estudo está a construção de outra rotunda no cruzamento da Av. 25 de Abril com a Av. Aquilino Ribeiro, junto à escola básica. 

“Trata-se de uma zona com muitos acidentes. A criação da rotunda permitirá aumentar não só a segurança rodoviária, como ainda a criação de mais 90 lugares de estacionamento”, explicou, na altura, o presidente da Freguesia de Massamá e Monte Abraão, Pedro Brás.

Mais estacionamento

Intervencionada será, igualmente, a Av. Capitão Gomes da Rocha, que liga a Estrada da Portela à Av. General Humberto Delgado. Trata-se de uma via estruturante e que serve o Bairro da Caixa, a zona envolvente da Igreja de Monte Abraão, o Agrupamento de Escolas Ruy Belo e o Centro de Saúde. Vai ser feito o seu reperfilamento para melhorar a circulação dos transportes públicos, melhorada a sinalização vertical e criada uma bolsa de estacionamento. 

Parque Urbano

Também a zona da Avenida Agostinho Neto com a Rua Jacinto Garcia serão alvo de obras, tendo em vista a reorganização do trânsito e a circulação em toda a zona alta de Monte Abraão.

Em estudo está a construção de um talude nos terrenos existentes entre a Av. Afonso Costa e a Rua Ribeiro Sanches. A União de Freguesias quer construir ali um parque urbano e criar hortas comunitárias, preservando os vestígios ancestrais de agricultura existentes. Os dois pombais ilegais que ali estão instalados serão deslocalizados.

Fábricas de sucata 

Por resolver (pontos que nem sequer foram visitados por Basílio Horta), vão continuar os problemas da Avenida Egas Moniz, em Massamá, onde dois cruzamentos são verdadeiras fábricas de sucata. Um deles situa-se na Rotunda Dra. Laura Aires, onde confluem as avenidas Egas Moniz e a Fernando Ricardo Ribeiro Leitão.

“Não há semana em que não veja aqui acidentes. Eles vêm da Egas Moniz e querem entrar para a rotunda dos CTT. Na maior parte das vezes, devido ao mau estacionamento, não têm visibilidade sobre a Ribeiro Leitão e são abalroados pelos carros que vêm a descer. Mas o inverso também acontece muitas vezes. Isto precisa de obras urgentes e quem se lembrou de chamar a isto uma rotunda devia ir tirar um curso intensivo sobre o que realmente é uma rotunda”, afirmou, ao Comércio de Massamá e Monte Abraão, Sónia Marques, de 44 anos, proprietária de uma histórica sapataria na Laura Aires.

João Nunes, 47 anos, engenheiro informático e residente na Av. Egas Moniz, aponta outro local problemático a escassos metros da rotunda dos correios: “Vivo num prédio que faz gaveto com a Av. Egas Moniz e com as ruas Prof. Dr. Francisco Pulido Valente e Prof. Dr. Sousa Martins. Acordo todas as semanas com o estrondo dos carros a bater no cruzamento. Antigamente ainda ía ver o que tinha acontecido. Agora já nem me dou ao trabalho de sair da cama. Mas aquilo é chapa a bater quase dia sim, dia não.”

E a avaliar pela última “Presidência Aberta” de Basílio Horta à União de Freguesias de Massamá e Monte Abraão, acompanhado do presidente da junta, João Nunes vai continuar a acordar a meio da noite muitas vezes…   

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *