Natal Iluminado em toda a freguesia

      Sem comentários em Natal Iluminado em toda a freguesia

Com o objetivo de promover o comércio local e de promover o espírito natalício junto da sua comunidade, a autarquia de Massamá e Monte Abraão, após muitas queixas de comerciantes e moradores, procedeu à instalação de iluminação de Natal nos arruamentos da Freguesia.

As iluminações estão nos pontos principais da Freguesia como rotundas, ruas primordiais e outros locais de destaque. 

O valor investido foi de 14.300€ (mais IVA).

As iluminações estarão ligadas até dia 7 de janeiro.

A ideia que esteve na base da decisão da autarquia é que as pessoas possam desfrutar da Freguesia, passeando e fazendo as compras no comércio local, se possível, utilizando o Cartão Freguês.

Refira-se que além da iluminação, a Junta promoveu, no passado dia 15 de dezembro uma festa de Natal da Freguesia de Massamá e Monte Abraão que começou ao som do roncar das motas, através de uma arruada “motard”. Pelas 10h30 a melodia foi outra, desta vez, ao som do Grupo de Cavaquinhos do Monte (Centro Comercial de Massamá “Japão”) e às 11h30 houve oportunidade para ver um Atelier de Conjunto da Banda Filarmónica de S. Bento de Massamá (Shopping Center de Massamá).

Este ano a autarquia de Massamá e Monte Abraão preparou uma novidade promovendo, pela primeira vez, um Mercado de Natal com especial destaque para o artesanato. O Mercado funcionou até dia 20 nos Parques Urbanos Salgueiro Maia, em Massamá, e 25 de Abril, em Monte Abraão.

Depois do sucesso do ano passado, as estações ferroviárias da Freguesia voltaram a ter atuações musicais, com o Ensemble da Banda Filarmónica de N. Sra. da Fé do Monte Abraão (estação de Monte Abraão) e o Grupo de Sopros e Percussão da Banda Filarmónica de S. Bento de Massamá, (estação de Massamá-Barcarena), estas a realizar estes dias 20 e 21, das 18h às 19h,

Em Massamá Norte, que já pertence à freguesia de Queluz/Belas, não está programada qualquer atividade natalícia e não existem espaços públicos iluminados. “Pagamos o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e não sei para quê. Isto está uma tristeza triste”, desabafou Lurdes Baeta, de 49 anos, proprietária de uma loja de roupa naquela zona.­­­

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *