Expansão da ciclovia arranca este mês

      Sem comentários em Expansão da ciclovia arranca este mês

A segunda fase da ciclovia que já liga Agualva a Massamá e que terminará em Queluz vai avançar este mês. O anúncio foi feito pela engenheira Sandra Viegas, responsável da autarquia, durante a presidência aberta que o autarca realizou, no final do passado mês de Janeiro, à União de Freguesias de Massamá e Monte Abraão. Serão 11,2 Km entre o Parque Salgueiro Maia e a estação da CP de Queluz, com um custo estimado de 840 mil euros.

“Estes são investimentos que vão garantir a requalificação do espaço urbano e tornar mais atrativos locais onde vivem milhares de pessoas”, explicou o presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta. O autarca lembrou que o investimento em ciclovias no concelho irá implicar um investimento final de quase seis milhões de euros, mas explicou que a Câmara assegurou o financiamento de 50% através do Programa Operacional de Lisboa, financiado com verbas comunitárias do programa Portugal 2020. 

Ao todo, serão construídos 39 km, que começaram com a ciclovia entre a Portela de Sintra e Mem Martins e a que liga Agualva a Massamá, que, como é sabido, já está em funcionamento.

A maior rede

A segunda fase da ciclovia, que ligará Massamá, Monte Abraão, Queluz irá incidir sobre os eixos estruturantes da cidade de Queluz entre o eixo nascente/poente, troço de Monte Abraão, requalificando e valorizando a área residencial de Monte Abraão. A criação da rede ciclável dos eixos entre Massamá e Belas terá uma extensão de 2755 metros e passará pelo eixo das Avenidas Salgueiro Maia e José Régio, abrangendo a área residencial de Massamá e áreas partilhadas.

A criação da rede de ciclovias de Sintra tem, assim, por objetivos, conforme Sandra Viegas salientou, a beneficiação de eixos viários principais, melhorando a mobilidade suave e pedonal, aumentando a segurança e conforto através da requalificação global do espaço público envolvente, bem como a promoção de estratégias de baixo teor de carbono, incluindo a promoção da mobilidade urbana sustentável no sentido de deslocações casa-trabalho ou casa-escola, ainda que em complemento do transporte coletivo, em especial do comboio, a pé ou de bicicleta. 

Com estas obras, Sintra arrisca-se a ser o concelho com a maior rede de ciclovias e percursos pedonais do país. “Estamos cientes de que este é o futuro. Sabemos que para rentabilizar este investimento as pessoas terão de mudar hábitos e mentalidades. Mas também sabemos que estamos a marcar a diferença e a contribuir para um futuro melhor das próximas gerações”, defendeu Basílio Horta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *