Espaço votado ao abandono

      Sem comentários em Espaço votado ao abandono

“Está melhor assim. Tudo abandonado.” O desabafo é de Manuel Carvalho, 72 anos, é um dos mais antigos moradores de Massamá. Refere-se aos terrenos baldios existentes na parte Norte da Rua Direita de Massamá, entre a Quinta das Flores e Agualva/Cacém. E coloca o dedo na ferida: “São terrenos privados, mas alguém tem de por mão nisto, porque já começa a ser um perigo, sobretudo agora que entramos no Verão. Isto é só mato seco. Um verdadeiro rastilho.”

Maria Deolinda, moradora na Rua Direita, explica o que se passa: “São terrenos que nunca ninguém soube bem a quem pertencem. Parece que alguém os comprou recentemente. Mas sempre estiveram abandonados. Há dois anos atrás aquilo até estava apresentável, porque vários moradores ocuparam os terrenos e fizeram ali umas hortas. Entretinham-se ali na terra e acabavam por manter a zona limpa e até bonita. Mas depois foi tudo abandonado e agora é uma zona de mato, depósito de lixo e sei lá mais o quê…”

O monte está votado ao abandono desde que ali foram proibidas as “hortas voluntárias”

Por serem de terrenos privados, nem a Câmara, nem a Junta de Freguesia podem intervir diretamente. “Exigimos que o espaço fosse limpo e isso aconteceu. Estamos atentos, mas pouco mais podemos fazer. Houve uma denúncia fundamentada de que os terrenos estavam ocupados ilegalmente e quem tinha ali as hortas foi intimado pelas autoridades competentes a abandonar os espaços. É a lei”, explicou ao Comércio de Massamá e Monte Abraão uma fonte camarária, acrescentando que “o problema está identificado” e que a autarquia “não irá permitir o crescimento de mato na zona”.

A verdade, porém, segundo foi possível constatar no local, é que a área está a ser ocupada por ervas, cardos lixo e é também usada como zona de pastoreio de gado. “Ao menos serve para alimentar as vacas e os cavalos e eles sempre limpam alguma coisa. Poupam trabalho e dinheiro ao dono disto tudo”, ironizou Margarida Carrapito, de 43 anos, que aproveita os caminhos de “cabras” existentes no monte para fazer caminhadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *