Contentores de lixo são banco de bicharada

Os moradores de várias artérias de Massamá, Massamá Norte e de Monte Abraão estão revoltados com o novo sistema de recolha de resíduos urbanos. As queixas feitas ao nosso jornal não têm a ver com os monos depositados ao lado dos contentores de lixo, mas sim com a sua inoperacionalidade e falta de limpeza.  

“Vivo aqui há 39 anos e nunca vi nada assim. Os contentores são novos, mas o sistema de alavanca é tão fraco que se parte logo. Ou seja, as pessoas carregam no pedal e a tampa do contentor não levanta. Não sei quem pagou isto, mas é uma vergonha. E não é só nesta rua, é por todo o lado”, denuncia João Santos, morador na Rua das Rosas, em Massamá, acrescentando: “E isto em frente ao Centro Lúdico e a um infantário.”

Vitorino Gonçalves, residente na Rua dos Jasmins, concretiza: “Como muitas pessoas são idosas e não conseguem levantar a tampa, deixam os sacos do lixo no chão. Como alguns têm restos de comida atraem todo o tipo de bicharada. É um risco para a saúde pública e não se percebe como ninguém faz nada.”

O pior, assegura João Santos, acaba por ser outra coisa: “Os contentores são despejados e não são lavados. Estão todos sujos. Uma pessoa que vá despejar o lixo, se não tiver cuidado, sai de lá com a roupa toda porca. Isto parece um país do terceiro mundo…”

Câmara regista queixas
Segundo o Comércio de Massamá e Monte Abraão apurou junto dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra, entidade responsável pela recolha de todo o tipo de resíduos sólidos no concelho, têm sido recebidas e registadas várias queixas dando conta dos problemas. Porém, estão todos remetidos para um suposto Gabinete de Análise daqueles serviços que ainda não emitiu qualquer diretiva no sentido de, por exemplo, se proceder à lavagem dos contentores.

“As viaturas que fazem a recolha do lixo, ao contrário das que existiam no tempo da SUMA (absorvida pelos SMAS) não estão preparadas para lavar os contentores. Despejam e acabou. Aliás, temos recibo queixas de lixo que fica espalhado no IC-19 precisamente por deficiências nas viaturas de recolha dos resíduos”, explicou fonte dos SMAS, solicitando o anonimato.

A verdade é que as reclamações de falta de higienização dos contentores e da sua fraca operacionalidade têm sido recorrentes nos serviços de atendimento telefónico dos SMAS, sem qualquer resultado prático até ao momento.

“Agora com o Natal e fim-de-ano à porta, o lixo vai ser mais que muito e o caos vai-se instalar nas ruas, com porcaria espalhada no chão e o mau cheiro no ar”, vaticina Luísa Esteves, moradora na Avenida 25 de Abril, em Massamá. 

Os SMAS, no seu site, dizem: “Somos responsáveis pela recolha e transporte dos Resíduos Urbanos (RU) ou equiparáveis, produzidos no concelho de Sintra. Este é um serviço fundamental e de extrema importância para a população, pois dele depende a salubridade e higiene pública do município.” Os moradores parecem concordar com as palavras, mas aguardam pelas ações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *