Atleta dá nome a rua mas não foi ao descerrar da placa

Chama-se António Faria dos Santos e nasceu a 18 de Junho de 1932. Os seus feitos enquanto desportista foram imensos e chegou a ser apelidado de “corredor supersónico”. Hoje está aposentado e é um dos impulsionadores da Confraria do Chafariz, que, uma vez por mês, junta à mesa várias personalidades da Freguesia de Massamá e Monte Abraão. O gabinete de toponímia da autarquia de Sintra resolveu atribuir-lhe uma rua. O mais caricato é que o conceituado atleta não foi convidado para descerrar a placa da artéria com o seu nome

“Ninguém me convidou para a inauguração da placa. Só soube que tinha o nome numa rua porque um amigo me contou. Claro que depois fui lá ver”, contou ao Comércio de Massamá e Monte Abraão António Faria. Apesar do lapso, o antigo atleta não ficou triste e até brinca com o facto: “Fiquei bastante orgulhoso, porque é o reconhecimento de uma vida dedicada ao desporto e em defesa do país. Além disso, o facto de a ter visto e fotografado significa que estou vivo. A placa só tem a minha data de nascimento…”

Várias distinções

A placa toponímica é apenas mais uma das muitas distinções que António Faria tem no seu vasto currículo. Tem em casa as medalhas de mérito desportivo de Espanha, de Portugal, de Torres Vedras, da Federação Portuguesa de Atletismo, da Associação de Atletismo de Lisboa, do Sport Lisboa e Benfica e um voto de louvor da Assembleia de Freguesia de Queluz, para mencionar apenas as distinções oficiais.

Em 2005 foi-lhe concedida a medalha de bons serviços desportivos atribuída pelo então secretário de Estado do Desporto e Reabilitação, Hermínio José Sobral Gonçalves. Na justificação para esta condecoração e que foi publicada em Diário da República destaca-se “o desempenho que este praticante desportivo realizou, tendo dado um contributo para a valorização e projeção da modalidade (atletismo).”

Do currículo de António Faria dos Santos destacam-se 30 títulos de campeão regional de atletismo, 31 de campeão nacional, 17 de campeão ibérico e 28 vitórias em outras provas internacionais. Foi recordista nacional nas distâncias dos 100 e 200 metros e nas estafetas de 4x100m e de 4×400 metros.

António Faria contribuiu ainda com o seu saber e experiência para o desenvolvimento da informação desportiva, tendo colaborado com diversos órgãos de comunicação social, nomeadamente o Norte Desportivo, A Bola, o Badaladas (Torres Vedras) e o Jornal do Sport Lisboa e Benfica, clube que representou durante vários anos.

O Comércio de Massamá e Monte Abraão presta, com este artigo, a sua pequena homenagem a um homem cuja dedicação, perseverança e espírito de sacrifício devem servir de exemplo para todos nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *